ProntoVet

Tabagismo: maior problema de saúde pública do Brasil é lembrado nesta segunda, 31 de maio

Oito milhões de mortes por ano no mundo estão ligadas ao hábito de fumar

omprometa-se a parar de fumar” é o tema destacado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para o Dia Mundial Sem Tabaco, lembrado no próximo dia 31 de maio, segunda-feira. O tabagismo é ainda a principal causa de morte evitável. Somente no Brasil, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o tabaco ocasionou 443 mortes por dia – cerca de 13% do total de óbitos no país (sem considerar a pandemia). “O tabagismo é o maior problema de saúde pública do Brasil em tempos normais”, enfatiza o cirurgião oncológico do Grupo Hospitalar São Vicente, Dr. Marciano Anghinoni. “São 8 milhões de mortes por ano em decorrência do hábito no mundo e mais um milhão de óbitos em relação a fumantes passivos”, complementa.

Para tentar conscientizar sobre os malefícios do tabagismo e a necessidade de mudança de hábito, a própria Organização Mundial da Saúde listou “100 razões para deixar de fumar”. O alerta mais enfático já está no primeiro item: “Fumantes têm maior risco de desenvolver quadro grade de covid-19”. O motivo principal é porque o sistema respiratório do tabagista é mais frágil e, ao ser infectado, pode ter a saúde mais debilitada e não resistir ao vírus. Contudo, Dr. Marciano lembra que o fumo também está relacionado a várias outras doenças. “É um importante fator de risco para as doenças cardiovasculares, mas, também, para todos os tipos de câncer de regiões próximas à boca – traqueia, laringe, faringe, esôfago, além do câncer de pulmão, de pâncreas, do intestino e tantos outros”, alerta.

O médico esclarece ainda que o tabagismo não se restringe ao cigarro, mas também ao charuto, ao cachimbo e ao narguilé, cuja utilização nos últimos anos cresceu muito entre os jovens. “Uma sessão de narguilé de uma hora equivale a fumar cem cigarros”, afirma. “Ou seja, é muita coisa, portanto é preciso criar uma forma de conscientizar sobre os riscos do tabagismo. É preciso parar já.” Dr. Marciano lembra que há vários programas de saúde pública para ajudar a pessoa a mudar de hábito. O Governo Federal disponibiliza o número de telefone 136, que apresenta dicas e informações para ajudar a deixar o tabagismo. Nos municípios, as unidades básicas de saúde também mantêm programas para auxiliar a população.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -

Últimas Notícias

Bloco do produtor começa a ser entregue a futuros assentados

Com as presenças do prefeito Elcio Da Luz e vice-prefeita Edith Maier, dos Secretários da Agricultura, Alcindo...

Prefeito assina projeto de construção da estrada rural da integração

A estrada liga Quedas do Iguaçu a Rio Bonito do Iguaçu numa extensão ver 16,5 kmO prefeito Élcio...

Representante da OPAS realiza palestra técnica para monitoramento de pacientes com Covid

Vacinação para população em geral acima de 45 anos continua nesta segunda-feira,14, no Posto Central Caetano Munhoz de Quedas do Iguaçu (centro-sul...

Covid-19: Boletim epidemiológico Quedas do Iguaçu (11/06/2021)

Hoje a nossa homenagem é para o doutor Valdomiro Vodonós, vítima da Covid-19 em 07/01/2021 Todos os dias desta semana lembramos vítimas...

Comentários Recentes