ProntoVet

A B A T controladora da Souza Cruz, trabalha em potencial vacina para COVID-19 nos EUA

Em 2014, a KBP ficou famosa por ser uma das poucas companhias com um tratamento efetivo para Ebola, fabricando o ZMapp™ com a companhia californiana Mapp BioPharmaceuticals, em parceria com a Autoridade de Pesquisa e Desenvolvimento Biomédica Avançada dos EUA (BARDA).

A British American Tobacco (BAT), por meio da sua subsidiária de tecnologia, a Kentucky BioProcessing (KBP), localizada no Estado de Kentucky, nos EUA, está desenvolvendo uma vacina em potencial para COVID-19 e agora está em testes pré-clínicos. A BAT é controladora da Souza Cruz, líder no setor de tabaco no Brasil, e está presente em mais de 180 mercados em todo o mundo.

Se o teste da vacina for bem sucedido, espera-se que, com os parceiros corretos e suporte de agências governamentais, sejam fabricadas entre 1 e 3 milhões de doses da vacina por semana a partir de junho. Por mais que a KBP seja uma operação comercial, a intenção é de que o projeto da vacina de COVID-19 seja não-lucrativo.

A vacina em desenvolvimento usa uma tecnologia de crescimento rápido de plantas de tabaco, que possuem diversas vantagens comparada a tecnologias convencionais de produção de vacinas:

  • É potencialmente mais segura, visto que plantas de tabaco não recebem agentes patogênicos que causam doenças em humanos;
  • É mais ágil, pois os elementos da vacina acumulam em plantas de tabaco muito mais rapidamente – 6 semanas em tabaco contra meses usando métodos convencionais;
  • A fórmula da vacina que a KBP está desenvolvendo se mantém estável em temperatura ambiente, ao contrário de vacinas convencionais que geralmente necessitam de refrigeração;
  • Tem o potencial de entregar uma resposta imunológica efetiva em apenas uma dose.

Em 2014, a KBP ficou famosa por ser uma das poucas companhias com um tratamento efetivo para Ebola, fabricando o ZMapp™ com a companhia californiana Mapp BioPharmaceuticals, em parceria com a Autoridade de Pesquisa e Desenvolvimento Biomédica Avançada dos EUA (BARDA).

KBP recentemente clonou uma parte da sequência genética do COVID-19, que levou ao desenvolvimento de um possível antígeno – uma substância que induz a uma resposta imunológica no corpo e, em particular, a produção de anticorpos. Esse antígeno foi, então, inserido em plantas de tabaco para reprodução e, uma vez que as plantas foram colhidas, o antígeno estava purificado, e agora está em testes pré-clínicos.

A controladora da Souza Cruz está explorando agora, nos EUA, parcerias com agências governamentais para trazer a vacina para estudos clínicos, o mais rápido possível. Através de colaborações com governos e fabricantes, a BAT acredita que entre 1 a 3 milhões de doses poderiam ser fabricadas por semana. 

Dr. David O’Reilly, diretor de Pesquisa Científica da BAT, afirma que “O desenvolvimento de vacinas é desafiador e um trabalho complexo, mas nós acreditamos que estamos diante de uma importante inovação com nossa plataforma tecnológica de plantas de tabaco e prontos para trabalhar com governos e outras partes para ajudar a vencer essa guerra contra o COVID-19. Estamos totalmente alinhados com o apelo das Nações Unidas por um enfoque total em combater problemas globais.”

- Advertisment -

Últimas Notícias

Vítima fatal em acidente entre caminhão bitrem e automóvel na PR 473

Mais uma tragédia, outro acidente com vítima fatal foi registrado na PR 473 a pouco mais de...

Espigão Alto do Iguaçu: Polícia identifica menores suspeitos de atos de vandalismo e ameaças de ataques a escolas

Dois menores de idade (14 e 17 anos) foram identificados e detidos pela Polícia Civil de Quedas...

Empresários e representantes da prefeitura debateram sobre as mudanças no trânsito quedense

Representantes do poder público  municipal  participaram de  uma reunião com  empresários no Auditório da Associação Comercial Empresarial (Aciqi) de Quedas do Iguaçu...

Comentários Recentes