ProntoVet

Verão: entenda como o ar condicionado pode prejudicar a saúde dos seus olhos

Síndrome do Olho Seco atinge cerca de 18 milhões de pessoas no Brasil

O ar condicionado está cada vez mais presente na vida dos brasileiros, considerado por muitos um item de luxo, ele passou a integrar lares, escritórios, carros, comércios e restaurantes como peça fundamental para enfrentar as altas temperaturas do verão. Mas, apesar de trazer aquela sensação de bem-estar, o ar condicionado pode afetar, e muito, a saúde dos seus olhos.

Isso porque o ar frio é menos úmido e provoca disfunção do filme lacrimal, prejudicando a quantidade e estabilidade da lágrima. “A Síndrome do Olho Seco atinge cerca de 18 milhões de pessoas no Brasil, segundo a Associação dos Portadores de Olhos Secos (APOS), e, apesar de ser uma doença crônica, a frequência em ambientes climatizados pode ser um agravante”, explica a médica oftalmologista Ticiana Fujii (CRM: SP125727).

Além do uso constante, a falta de manutenção adequada pode provocar acúmulo de sujeira e líquidos na parte interna no aparelho, com a refrigeração do ar e condensação da água, resultando no aparecimento de fungos e bactéria que potencializam alergias e riscos de infecções como conjuntivites. A especialista esclarece que as queixas mais comuns são ardor, queimação, irritação, sensação de corpo estranho, incômodo com claridade e embaçamento da visão, que costuma piorar ao final do dia, principalmente, em ambientes de baixa umidade com ar condicionado e após uso excessivo do computador.

“O olho seco é a 2° maior causa de atendimento nos consultórios oftalmológicos³, mas os prejuízos ficam mais visíveis em longo prazo, podendo progredir para uma alteração crônica no filme lagrimal e até mesmo lesões na superfície ocular. A maior incidência da doença ocorre em mulheres e pode estar relacionada às oscilações do nível de estrogênio durante a fase reprodutiva e à falta dele na menopausa”, informa.

O tratamento básico consiste na reposição da lágrima com a utilização de lágrimas artificiais para manter os olhos lubrificados. “É fundamental consultar o oftalmologista para ter o diagnóstico e o tratamento corretos. Lágrimas artificiais à base de carmelose sódica são muito semelhantes à composição das lagrimas naturais, possuindo tempo de permanência nos olhos e viscosidade apropriados. Prefira também os colírios sem conservantes para evitar toxicidade, como Lacrilax, que podem ser utilizados várias vezes ao dia”, ressalta a especialista.

A médica também reforça o alerta para usuários de lentes de contato, que devem ter cuidado dobrado com a lubrificação e prestar muita atenção ao tipo de colírio utilizado, mantendo as lentes sempre limpas e higienizadas. Além do tratamento medicamentoso, outras dicas para amenizar os sintomas são beber bastante água, manter o ambiente mais úmido com umidificadores de ar, piscar voluntariamente e, se trabalhar em frente ao computador, fazer pausas de 5 minutos a cada hora.

- Advertisment -

Últimas Notícias

Covid-19: Pela primeira vez boletim mostra não haver casos ativos em Quedas do Iguaçu

A secretaria de Saúde de Quedas do Iguaçu divulgou boletim epidemiológico na manhã desta terça-feira, 29, zerando pela primeira vez o número...

Trabalhadores da cultura e espaços culturais de Quedas do Iguaçu receberão 267 mil reais de renda emergencial

A Secretaria de Educação de Quedas do Iguaçu (centro sul paranaense) divulgou no diário oficial desta segunda-feira, 28, os editais relacionados ao...

Onda de calor com temperaturas acima de 40ºC deve atingir o Paraná

A MetSul Meteorologia e o Climatempo alertam que um episódio de calor histórico atingirá o Brasil nesta semana com temperatura acima dos...

Capotamento na manhã deste domingo faz vítima fatal na PR 484

Outra tragédia foi registrada na PR 484. na manhã deste domingo, 27,em Quedas do Iguaçu (centro sul paranaense) no mesmo local onde...

Comentários Recentes