ProntoVet

“Mudança de hábitos ajuda a prevenir câncer do estômago”, diz professor da Unifesp

Enfermidade já é a terceira mais frequente entre os homens e quinta entre as mulheres

Uma alimentação saudável faz toda a diferença para a qualidade de vida. Ela é um dos principais fatores para a prevenção dos casos de câncer do estômago, que já é o terceiro tipo mais frequente entre os homens e o quinto entre as mulheres segundo dados do Inca (Instituto Nacional de Câncer).

“O câncer de estômago tem uma agressividade muito grande. Algumas atitudes diárias ajudam a reduzir a sua incidência”, orienta Ramon Andrade de Mello, médico oncologista, professor da disciplina de oncologia clínica da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) e da Escola de Medicina da Universidade do Algarve (Portugal).

A ingestão de alimentos com excesso de sal, condimentados, defumados e gordurosos contribui para o aparecimento da doença. “O consumo frequente de álcool e o tabagismo são fortes fatores que ajudam o desenvolvimento desse tipo de tumor”, explica o oncologista.

Os EUA têm registrado declínio anual de aproximadamente 1,5% no número de casos de câncer do estômago, nos últimos dez anos. Segundo a American Cancer Society, até o final da década de 1930, esse tumor era a principal causa de morte por câncer no país. Apesar de não conhecerem os motivos para o declínio, os pesquisadores acreditam que o uso de refrigeração para armazenamento de alimentos tornou as frutas e legumes frescos mais disponíveis e reduziu o consumo de alimentos salgados e defumados.

“Esse câncer está cada vez mais comum nas pessoas jovens. Ele pode estar associado às alterações de estilo de vida e algum tipo de alimentação”, esclarece o professor da Unifesp. Ramon orienta uma dieta balanceada, atividades físicas frequentes e controle do peso corporal como algumas das medidas preventivas para a doença.

Entre os sintomas, a doença começa a se manifestar com perda de peso; sangramento tanto nos vômitos ou nas fezes. “Com o diagnóstico precoce, o tratamento muitas vezes pode ser a base de cirurgia ou com quimioterapia e radioterapia. Existem ainda tratamentos inovadores para esse tipo de tumor, como terapias alvos e imunoterapias”, explica o médico oncologista.

Sobre Ramon Andrade de Mello

Oncologista clínico e professor adjunto de Cancerologia Clínica da Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Ramon Andrade de Mello tem pós-doutorado em Pesquisa Clínica no Câncer de Pulmão no Royal Marsden NHS Foundation Trust (Inglaterra) e doutorado (PhD) em Oncologia Molecular pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (Portugal).

O médico tem título de especialista em Oncologia Clínica, Ministério da Saúde de Portugal e Sociedade Europeia de Oncologia Médica (ESMO). Além disso, Ramon tem título de Fellow of the American College of Physician (EUA) e é membro do Comitê Educacional de Tumores do Gastrointestinal Alto da Sociedade Americana de Oncologia Clínica e do Comitê Educacional de Tumores Gastrointestinal da Sociedade Europeia de Oncologia Médica.

O oncologista é do corpo clínico do Hospital Israelita Albert Einstein e Hospital 9 de Julho, em São Paulo, e do Hospital Beneficência Portuguesa, em Bauru (SP).

- Advertisment -
Gif Geral Jp - Jornal Expoente Do Iguaçu

Últimas Notícias

Carro roubado em Quedas do Iguaçu é utilizado em assalto de relojoaria

Um veículo Gol furtado nesta semana em Quedas do Iguaçu (centro sul Paranaense) foi utilizado num assalto...

Quedas do Iguaçu: Violência assombra população

A população de Quedas do Iguaçu (centro sul paranaense) vive num clima de incertezas com relação a...

Feira Livre no Centro Cultural contará com música ao vivo

Músicos da cidade irão alegrar o clima da feira que contará com 45 expositores

Comentários Recentes