Quatro presos em Quedas na Operação Adsumus

A operação Adsumus (estamos presentes) prendeu nesta manhã pelo menos quatro pessoas em Quedas do Iguaçu e procura mais quatro.

0
462
Delegado Alex (com o papel nas mãos) passando instruções a seus subordinados na operação.

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) está nas ruas, na manhã desta quarta-feira (21), para deflagrar a operação “Adsumus”, contra organização criminosa envolvida em tráfico de drogas, tráfico de armas e homicídios. O grupo atua a partir de Quedas do Iguaçu, na região centro-sul do Estado, sendo chefiado por dois irmãos, homem e mulher. 

Por volta das 5h00 um muro numa residência foi detonado pela polícia com explosivos o local serviria de esconderijo para os suspeitos. Estão sendo cumpridos 54 mandados judiciais, sendo 28 mandados de busca e apreensão e 26 mandados de prisão. As ações, que contam com o apoio da Polícia Militar, acontecem simultaneamente em Quedas do Iguaçu e Guarapuava, na região centro-sul do Estado, em Três Barras do Paraná e Cascavel, na região oeste, e em Dois Vizinhos, na região sudoeste. 

No momento da coletiva o delegado foi informado da prisão de uma ramificação dos suspeitos em São Paulo pelo Grupo Garra

Somente em nosso município foram apreendidas nesta manhã foram apreendidas quatro pessoas e mais quatro estão sendo procuradas. Não foram encontradas drogas, porém duas espingardas foram localizadas com o bando.
Mais 70 policiais civis participam da operação, incluindo equipes táticas de elite da PCPR, que atuarão em solo e no ar a bordo de helicóptero da corporação (Grupamento Aéreo de Curitiba).

Apoio aéreo vindo de Curitiba especialmente para a operação

Com policiais das cidades de Toledo, Pato Branco, Laranjeiras do Sul e Cascavel para efetuar as prisões. “As pessoas já começaram a serem ouvidas, alguns nem ficam aqui serão encaminhados pra Cascavel, porque falta alguns detalhes a ser resolvidos, precisamos de um fundamento ter ocorrido e esclarecimento a gente acha que com estas prisões uma parte disso a gente consegue resolver”, declarou o Delegado Alex Sandro Marcos, na comitiva a imprensa.
Os irmãos líderes do bando estão presos, ele em Guarapuava e ela em Cascavel. Mesmo assim, continuam a comandar as ações de dentro do cárcere.
A organização criminosa atua fortemente no tráfico de drogas e armas, tendo como padrão assassinar pessoas que de alguma forma atrapalhassem seus objetivos. Isso inclui agentes públicos como o caso de um secretário de Obras do Município.
Um policial civil, morto em Cascavel no ano de 1999, e um policial militar, assassinado em Guarapuava no ano passado, estão entre as vítimas da quadrilha. O secretário de obras de Quedas do Iguaçu, assassinado em 2017 no município, também foi morto por integrantes do bando.
A quadrilha atuava também em outros estados. Em novembro de 2017, um membro do grupo foi preso no estado do Rio de Janeiro transportando um arsenal, com 62 pistolas e um fuzil.
A operação foi denominada “Adsumus”, pois esta palavra em latim significa “estamos presentes”, demonstrando que a PCPR está atenta aos acontecimentos e atua cumprindo sua missão de combater a criminalidade em todas as regiões do Paraná.