ProntoVet

Projeto que reduziu a infestação do mosquito da dengue em Jacarezinho (PR) é apresentado em Brasília

Tecnologia inédita desenvolvida pela Forrest Brasil teve sua eficácia comprovada em projeto piloto realizado em três bairros na cidade do interior do Paraná

O Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), em Brasília, recebeu a diretora da Forrest Brasil Tecnologia Elaine Cristina dos Santos e a coordenadora do projeto de controle biológico da empresa Lisiane de Castro Poncio, juntamente com o prefeito de Jacarezinho (PR) Sérgio Eduardo de Farias e o secretário municipal de Saúde Marcelo Nascimento da Silva. Na ocasião eles apresentaram os resultados do projeto piloto de combate à infestação de mosquito Aedes aegypti, realizado na cidade de Jacarezinho no Norte Pioneiro do Paraná.

O município, com pouco mais de 40 mil habitantes, e distante cerca de 400 km de Curitiba, hoje é referência no combate à dengue, mas já esteve entre os que registraram o mais alto risco de surto de dengue, zika e chikungunya no Brasil, devido aos altos índices de infestação do mosquito Aedes aegypti. Com um projeto inédito, desenvolvido pela Forrest, em parceria com o Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), os índices de infestação do mosquito tiveram redução de 90% na área tratada. O projeto está chamando a atenção pela tecnologia inovadora, que dispensa o uso de inseticidas

“Foram oito meses de solturas sistemáticas de mosquitos machos estéreis, totalizando 12 milhões de mosquitos, que resultaram em reduções significativas, principalmente da dengue, na cidade. A técnica natural consiste em esterilizar mosquitos machos e soltá-los na natureza. Como a fêmea copula uma única vez durante a vida, se a cópula for com um macho estéril então não haverá descendentes. Já se a cópula acontecer com um macho não estéril, uma fêmea pode gerar até 500 ovos, que vão resultar em novos mosquitos”, explica a coordenadora Lisiane de Castro Poncio.

Os dados apresentados comprovam a eficácia do Projeto Piloto “Controle Natural de Vetores”, considerado um caso de sucesso e que pode ser adotado por cidades do mundo todo. “A tecnologia, aliada ao trabalho de educação e conscientização da população, contribuiu para a redução desses índices. Tudo isso foi possível com o apoio da população e das autoridades locais, especialmente da prefeitura e da Secretaria Municipal de Saúde. Agora mostramos esses resultados para autoridades de outras cidades que enfrentam o mesmo problema e buscam soluções sustentáveis para combater o Aedes aegypti”, conta a diretora Elaine Cristina dos Santos.

O trabalho na cidade de Jacarezinho foi realizado nos bairros Aeroporto, Novo Aeroporto e Vila Leão. De acordo com o prefeito Sergio Eduardo Emygdio de Faria, o Dr. Sérgio (DEM), “o objetivo agora é buscar uma alternativa para ampliar este projeto para outros bairros com a Vila São Pedro, que hoje sofre com a infestação do mosquito”.

- Advertisment -

Últimas Notícias

Capotamento na manhã deste domingo faz vítima fatal na PR 484

Outra tragédia foi registrada na PR 484. na manhã deste domingo, 27,em Quedas do Iguaçu (centro sul paranaense) no mesmo local onde...

Espigão Alto do Iguaçu: Agricultor tem perna amputada em maquinário

Atendimentos de emergência foram realizados em Quedas e Espigão na manhã desta sexta-feiraO...

Tribunais devem adotar videoconferência para audiências e atos

O uso de ferramentas de videoconferência para atender os cidadãos durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) trouxe resultados positivos na produtividade...

Comentários Recentes