Homicídio é registrado no Bairro Bom Pastor

Se dizendo "traído" homem mãe de três filhos no bairro Bom Pastor.

0
490

Na noite desta sexta-feira, 26, por volta das 21h15min, ligações de uma adolescente davam conta de que no bairro Bom Pastor, na Rua Tremoço, um indivíduo teria agredido uma mulher e desferido golpes de facão e segundo a denunciante, também efetuado um disparo de arma de fogo, se evadindo posteriormente do local.

A PM se deslocou até o endereço informado, e ali próximo localizou uma mulher caída no chão, ainda agonizando. Diante dos fatos foi imediatamente acionada a equipe do Samu, para deslocar até o referido endereço prestar socorro à vítima, identificada como Zilda Alves,50, no local também estava a adolescente (solicitante) (14) anos neta da vítima.

 Com a chegada dos socorristas os mesmos prestaram os primeiros atendimentos e a vítima tentando reanima-la, porém sem lograr êxito, entrando em óbito dentro da ambulância, que foi encaminhado até o hospital para aguardar a chegada do IML.

Já a equipe choque copiou a ocorrência pelo radio e esteve no local. recebeu informações da testemunha ocular , a menor, que relatou que antes dos fatos, a sra Zilda lhe contou que estava sendo ameaçada durante todo o dia, pelo Sr. P, que se trancaram dentro de casa e Ele foi até local, bateu na porta e retirou a vítima de dentro da casa a força, tentando lhe desferir golpes com um facão. na continuação de seu relato, informou que Ela saiu correndo de dentro de casa e o assassino lhe perseguindo e, que momentos depois, ouviu um estampido de arma de fogo.  Após  isso, viu o Sr. P. empunhando uma arma de fogo preta, que não soube precisar qual seria, mas, após a equipe lhe mostrar fotos de um revolver, confirmou ser uma semelhante.

Além disso, a menor relatou que Ele saiu do local correndo a pé e que possivelmente teria escondido no carro, uma Renault Scenic de cor prata, nas imediações. diante dessas informações, a equipe choque saiu em diligencias e, na esquina entre a PR 484 e Rua Seringueira, visualizou uma o referido veículo. Foi feito um breve acompanhamento ao carro, que foi abordado a poucas quadras do local, conduzido pelo Suspeito. Em busca pessoal, nada de ilícito foi encontrado, apenas algumas luvas cirúrgicas no bolço direito da calça no interior do veículo, no assoalho da frente do lado direito, foi encontrado um facão de lâmina escura e cabo de polímero preto de aproximadamente 50 cm. Ao ser indagado sobre os fatos, o P. negou ser o autor do homicídio no primeiro momento, mas posteriormente, indagado novamente, relatou que efetuou um disparo de revolver, calibre 32, em Zilda, pois ela teria lhe traído.

Em consultas internas aos sistemas, foi constatado de a vítima já havia feito um boletim de ocorrência, contra Ele, ao ser indagado sobre o paradeiro do revolver, disse ter arremessado na marginal da PR 484, contudo, as equipes realizaram buscas nos possíveis locais onde a arma poderia estar, mas, nada foi encontrado.

No momento da abordagem, o celular do agressor, recebeu uma ligação, ao ser indagado de quem seria esse número, disse ser de L., levantando assim a suspeição de que esta pessoa seria coautora do crime. Diante disso, foi solicitado à equipe policial de Três Barras que conduziu a Sra L à Cia da PM de Quedas. Ainda, foi indagado o Sr. P. se a Senhora sabia que ele cometeria o homicídio, disse que sim. Por sua vez diante dos fatos, a senhora e o Sr, P. foram encaminhado juntamente os celulares dos dois, o tablet da vítima e o veículo para a Delegacia de Polícia para as providências cabíveis.   

Zilda Alves deixa três filhos.