Estudantes criam aplicativos que aprimoram a produção da agricultura e pecuária no Brasil

Plataformas podem medir a qualidade do leite, ofertar arrendamento de terras para plantio e dicas dos melhores cultivos para diferentes biomas.

0
567
Shot of a young woman using a digital tablet on a farm

Três aplicativos criados por jovens universitários prometem aprimorar a produção da agricultura e pecuária no Brasil, com serviços que envolvem a medição da qualidade do leite, ofertas de arrendamento de terras para plantio e dicas dos melhores cultivos para diferentes biomas.  Os projetos estão entre os finalistas do programa Campus Mobile, iniciativa do Instituto NET Claro Embratel – responsável pelas ações de responsabilidade social corporativa dessas marcas.

O aplicativo Smart Milk IoT, idealizado pelos estudantes da Universidade Federal de Juiz de Fora Ítalo Alvarenga, Deivid Campos e Gabriel Correa, é capaz de medir a qualidade do leite de maneira simples e barata, por meio de dados coletados e resultados apresentados instantaneamente no aplicativo. Para a análise, os jovens criaram um sensor portátil de fibra óptica, ligado a uma sonda que faz a medição da qualidade do leite, analisando a quantidade de bactérias e até mesmo a presença ou não de adulterantes no produto. “Com o nosso protótipo, toda análise poderá ser realizada, sem precisar coletar amostras e levá-las ao laboratório, facilitando um processo que costuma ser lento, de alto custo e que não permite uma análise instantânea”, comenta Ítalo.

Já o Arrent – arrende, plante e cresça, dos estudantes da Universidade do Vale do Rio do Sinos, Fernando Pascoal, Guilherme Prezzi e Eduardo Dusik, traz ofertas de lugares disponíveis para arrendamento de terras para plantio, possibilitando que os usuários ofertem seus espaços agrícolas e alcancem arrendatários. Com a solução, o usuário pode visualizar os espaços disponíveis, dialogar e tirar suas dúvidas com o responsável pela terra, agendar o arrendamento e realizar o pagamento por meio da aplicação. 

O Plantar mais também é um dos finalistas e indica os melhores tipos de plantio, por meio do bioma especifico de cada região, sendo filtrado pelo próprio banco de dados do aplicativo com bases científicas e tecnológicas. A aplicação foi criada por Leticia Alves, Victor Oliveira e Victor Souza, estudantes da Universidade Federal de Uberlândia. Por meio de filtros e guias, o usuário ainda consegue identificar os herbicidas aplicáveis, de acordo com a legislação brasileira, e as empresas comerciantes próximas. O aplicativo também direciona os produtores para os locais corretos de descarte das embalagens dos químicos utilizados. 

Viagem ao Vale do Silício – O aplicativo dos estudantes concorre com outros dois projetos na categoria Smart Farms do Campus Mobile. Os vencedores do concurso serão premiados pelo Instituto NET Claro Embratel com uma viagem ao Vale do Silício, na Califórnia, Estados Unidos,  para uma imersão nas principais empresas de tecnologia do mundo, como Google, Facebook, Twitter e até mesmo a Universidade de Stanford, para finalizarem os projetos. O resultado final, com a indicação dos vencedores, será divulgado no dia 6 de maio. 

O Campus Mobile é um concurso de inovação e empreendedorismo do Instituto NET Claro Embratel, em parceria com a Associação do Laboratório de Sistemas Integráveis Tecnológico (LSI-TEC/USP) e o apoio da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. O projeto incentiva a formação de talentos junto a alunos universitários e recém-formados para atuação no mercado de conteúdos e novos serviços de telefonia móvel. Em sua sétima edição, o Campus Mobile já premiou 18 aplicativos ao longo dos últimos anos. Durante o programa os participantes selecionados recebem monitoria de especialistas da área de inovação para o aperfeiçoamento dos projetos. Eles também participam de uma semana presencial em São Paulo, que conta com maratona de programação, palestras e visitas a empresas parceiras.