Cascavel é a 2ª cidade do PR em mortes por acidentes de trabalho

Os homens são os que mais morrem no ambiente de trabalho no Paraná. Em 2017 foram 189 óbitos registrados (90%), enquanto de mulheres foram 21, 10% do total

0
2740

Durante o mês de abril, órgãos públicos e instituições engajadas nas questões relativas aos acidentes de trabalho aderem à campanha Abril Verde, uma forma de promover a conscientização sobre a importância da segurança e da saúde do trabalhador brasileiro.

Em Cascavel, conforme dados do Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho, criado pelo Ministério Público do Trabalho, entre os anos de 2012 a 2017 foram registrados 11.689 acidentes ocupacionais, com 53 mortes no período.

Em 2017 o município registrou 7,9% dos casos de acidentes de trabalho no Paraná, pouco menos que os 11% registrados na capital, Curitiba. E tomando por base a proporção de trabalhadores entre interior e a capital, os dados são alarmantes. De acordo com o SINTESPAR, que é o Sindicato dos Técnicos de Segurança do Trabalho do Paraná, isso coloca a cidade na segunda posição no Estado em relação ao número de mortes do tipo no período. Em 2018, somente em Cascavel, 8 trabalhadores morreram por acidentes de trabalho.

Segundo o gerente do Crea-PR em Cascavel, Geraldo Canci, o “Movimento Abril Verde, dedicado à prevenção de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho, busca conscientizar as categorias que mais sofrem acidentes na construção civil e nas indústrias. O objetivo principal da campanha é conscientizar a população sobre a segurança e saúde do trabalhador, fomentar a redução dos acidentes de trabalho e promover a qualidade de vida no trabalho. Neste mês de abril são intensificadas as orientações nas fiscalizações para alertar empregados e empregadores sobre a importância de cuidar da saúde e da segurança do ambiente de trabalho”, ressalta Canci.

O mês de abril foi escolhido para a campanha porque o dia 28 é dedicado à memória das vítimas de acidentes e de doenças do trabalho. Em 1969, uma explosão de uma mina da cidade de Farmington, na Vírginia, estado dos Estados Unidos, matou 78 trabalhadores, caracterizando o episódio como um dos maiores e mais conhecidos acidentes trabalhistas da humanidade.

Frigoríficos lideram acidentes

O grande número de frigoríficos na região Oeste do Paraná faz com que esses números sejam altos, em razão dos casos de adoecimento dos trabalhadores. Conforme os dados, esse ambiente é responsável por 35,1% dos registros de acidentes

de trabalho e a taxa de mortalidade no Paraná, em decorrência do ofício, é de 4,9 para cada 100 mil trabalhadores. Entre 2012 e 2017, o abate de suínos, aves e outros pequenos animais nos frigoríficos, resultou em 1.543 acidentes de trabalho em Cascavel.

Já em relação a gênero, os homens são os que mais morrem no ambiente de trabalho no Paraná. Em 2017 foram 189 óbitos registrados (90%), enquanto de mulheres foram 21, 10% do total.
Os homens também sofrem mais acidentes típicos do que as mulheres. Em 2017, 70% dos acidentes de trabalho (18.881) foram com homens e 30% (8.258) com mulheres. Os dados podem ser acessados no link https://observatoriosst.mpt.mp.br/.

No Paraná, conforme informações do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR), 6 mil profissionais estão habilitados para a atividade, quase 58% a mais do que o registrado em 2010, quando havia 3,8 mil Engenheiros especializados em Segurança do Trabalho. Na região Oeste do Estado, 550 profissionais estão habilitados para a função.