ProntoVet

Combate ao fumo: tabaco mata mais de 6 milhões por ano

Especialistas alertam para a principal causa de morte evitável do planeta: o cigarro.

 Criado para conscientizar a população dos riscos causados pelo cigarro, o dia 29 de agosto é o Dia Nacional do Combate ao Fumo. A data ressalta a importância de deixar esse vício para trás, uma vez que o tabagismo é considerado o fator de risco mais passível de controle e a principal causa de morte evitável no planeta, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

“Assim como qualquer outra droga, a nicotina atua no nosso sistema nervoso central, levando de 7 a 19 segundos para atingir o cérebro do fumante. Aqueles que não fumam podem viver de 10 a 15 anos mais do que os fumantes”, alerta Elie Fiss, pneumologista da Cia. da Consulta.

Não é novidade que a vida tem mais qualidade para aqueles que estão livres do tabaco, mas todos também sabem que tratar a dependência é muito difícil, e a sensação de fracasso após uma tentativa frustrada pode retardar ainda mais esse processo.  Contudo, é importante lembrar que o esforço vale a pena, já que parar de fumar leva a diminuição de mais de 30% das doenças causadas pelo fumo, tais como infarto agudo do miocárdio (IAM) e acidente vascular encefálico (AVC), neoplasias e Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC), diminuição que pode chegar a até 90% quando consideramos a DPOC e o câncer de pulmão.

A OMS estima que um terço da população mundial adulta seja fumante, e que o tabaco mata mais da metade de seus usuários. Além disso, se engana quem se considera ileso dos males do cigarro porque não fuma. A notícia triste é que os fumantes por tabela sofrem até mais do que os que fumam, já que a fumaça da ponta do cigarro tem três vezes mais elementos cancerígenos. “O tabaco é a causa da morte de quase 6 milhões de pessoas por ano, das quais mais de 700 mil não são fumantes, por isso, é importante conter os vícios para poupar não só a própria saúde, como também a de todos que convivem de perto com quem tem o hábito do tabagismo”, recomenda o pneumologista.

Sabendo desses dados, muitas pessoas optam por fumar em locais abertos, contudo esse hábito não é suficiente. “Mesmo com a mudança de ambientes, a nicotina continua eliminando toxinas impregnadas em roupas, cabelo e até pele, isso prova que a solução ainda é buscar um tratamento para deixar o vício de lado”, ressalta Elie.

Abandonar o tabaco significa, entre todos os benefícios, melhora da capacidade respiratória, melhora da percepção do sabor da alimentação, e, a médio e a longo prazo, reduz o risco de ter doenças graves e fatais de forma significativa. O desafio é grande, mas a sua saúde e a saúde dos que convivem com você agradecem!

- Advertisment -

Últimas Notícias

Capotamento na manhã deste domingo faz vítima fatal na PR 484

Outra tragédia foi registrada na PR 484. na manhã deste domingo, 27,em Quedas do Iguaçu (centro sul paranaense) no mesmo local onde...

Espigão Alto do Iguaçu: Agricultor tem perna amputada em maquinário

Atendimentos de emergência foram realizados em Quedas e Espigão na manhã desta sexta-feiraO...

Tribunais devem adotar videoconferência para audiências e atos

O uso de ferramentas de videoconferência para atender os cidadãos durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) trouxe resultados positivos na produtividade...

Comentários Recentes