Motoristas continuam com paralisação “quem nos representa não foi ouvido pelo governo”

Os protestos continuam e diversos produtos nos mercados já se encontram em falta. Gasolina e gás ;estão virando artigo de luxo.

0
9293
Caminhoneiro que está a mais de uma semana diz que o governo federal não ouviu o verdadeiro líder do movimento.

Apesar de todas as propostas do governo federal para negociar uma saída para a paralisação dos motoristas que está atingindo todos os setores da economia brasileira os caminhoneiros parecem não demonstrar nenhuma ação que possa levar ao término da greve.

Na noite de domingo, 27, numa tentativa desesperada de resolver a situação, o presidente Michel Temmer, anunciou um pacote de medidas para acalmar os ânimos e mesmo assim nenhuma ação foi desencadeada pelos caminhoneiros.

Conversamos na manhã desta segunda-feira, 28, com o motorista Valter Serafim, Ele mora em Campos de Holambra, São Paulo, e atende 40 empresas da região no ramo de floricultura. Desde segunda-feira, 21, quando iniciou a paralisação Serafim está no bloqueio quedense próximo a Associação dos Motoristas. “Hoje estamos no oitavo dia da greve e pelo que vejo o movimento se fortifica, e a população está nos apoiando”. Numa declaração de certa forma surpreendente, afirmou que “existe uma liderança nacional ligada ao movimento”, a qual não quis dizer o nome (ou não sabe), controladora da paralisação e a qual o governo brasileiro não está ou não quer negociar.

“Quem assinou o acordo com o governo não nos representa, nós queremos que além do diesel, baixe também a gasolina, gás e etanol, não adiante baixar isso agora e daqui a sessenta dias voltar a subir”.

Os produtos hortifrúti estão diminuindo drasticamente os postos de combustíveis  continuam sem o produto.

Cancelamento das aulas em Quedas do Iguaçu

A partir de amanhã (29/05) está cancelado as aulas em todas as escolas e o atendimento em todos os Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis). A nota foi divulgada pela Secretaria de Educação que dispensou todos os alunos e funcionários de suas atividades, e assim que voltarão assim que estiver normalizada a situação do município devido a paralisação dos motoristas.