Sanepar quer renovar contrato de concessão que vence daqui 17 anos

Representante da Sanepar veio a Quedas do Iguaçu para tentar convencer vereadores sobre renovação de um contrato que vence em 2034

0
438

A Sanepar (Companhia de Saneamento do Paraná) pretende ainda este ano renovar o contrato de Concessão 132/96 assinado em 1996, com vencimento em 2034. A proposta foi encaminhada a Câmara de Vereadores de Quedas do Iguaçu e entrou em discussão na sessão de segunda-feira, 20. Se aprovado o atual contrato será rompido e começará um novo com prazo de trinta anos de vigência podendo ser renovado para mais 30.  Buscando explicações os  vereadores convocaram a Sanepar a mandar um representante para falar sobre o assunto.

Evandro Dalmolin representante da empresa foi indagado sobre diversos assuntos ligados a prestação de serviços da Sanepar a comunidade. Ele respondeu as perguntas e teceu explicações sobre as pretensões da Sanepar em renovar com Quedas do Iguaçu um contrato que falta 17 anos para vencer. Dalmolin enfatizou que a empresa trabalha com metas e uma delas é chegar a 70% de ligações de esgoto no município até 2020. Mostrou aos edis uma planilha dos investimentos já realizados no município em água e esgoto, algo em torno de 15 milhões e meio de reais. Anunciou também um plano de revitalização do Rio Iguaçu em conjunto com empresas ligadas ao setor elétrico. Falou da necessidade da cautela nas ligações para não comprometer o abastecimento de água no município e também da possibilidade de levar água as propriedades rurais. No final o presidente Eleandro da Silva fez uma sequência de perguntas as quais numa delas, se dos 80% cobrados na taxa de água de esgoto. O representante disse “ser mais caro o tratamento do esgoto que da água, e citou exemplo de países que hoje cobram a taxa por morador”.

A proposta da Sanepar deve entrar em primeira votação na próxima segunda-feira, 27, com chances reais de ser aprovada.