ProntoVet

5 dicas para você parar de roer as unhas

30% da população mundial têm esse hábito, segundo informações publicadas na revista Iranian Journal Of Medical Sciences

O ato de roer as unhas é recorrente e não está relacionado com a faixa etária de uma pessoa. Os motivos para a prática mudam de acordo com o indivíduo, por exemplo, nervosismo, ansiedade, fome, insegurança, tédio ou até mesmo decepção.

Além disso, a onicofagia – termo técnico para o costume de roer as unhas – pode desencadear problemas psicossociais significativos e impactar de maneira negativa a qualidade de vida desse indivíduo. “A unha e a pele são nossa proteção contra bactérias e doenças externas, quando removemos uma cutícula, por exemplo, automaticamente estamos rompendo a proteção. Dessa forma, ficamos expostos a inúmeros perigos”, alerta Luzia Costa, fundadora da Beryllos, única rede de cuticularia do Brasil.

O vício pode provocar ainda graves problemas gastrointestinais como esofagite infecciosa, gastrite, entre outros, até prejudicar a dentição, a musculatura do maxilar e a articulação. Além desses, o ato de levar a mão à boca deixa a pessoa mais exposta a outras bactérias que podem desencadear doenças futuras, H1N1, diarreia, hepatite A, caxumba, rubéola, sarampo, etc.

A prática de roer as unhas é prejudicial para o corpo e mente. É necessário procurar ajuda de profissionais especializados para identificar o motivo da “compulsão” e as consequências. Pensando nisso, Luzia Costa, da Beryllos, lista cinco dicas – que ela sugere para suas clientes – para ajudar a controlar esse hábito corriqueiro.

Identifique os momentos que despertam a mania – Nada melhor do que o autoconhecimento. Saiba identificar o momento exato que desperta a vontade de roer as unhas. Esse é o primeiro passo para saber se o hábito está relacionado a problemas no trabalho, na vida pessoal, e assim por diante.

Roer as unhas é um alerta – Muitas pessoas associam a prática com a ansiedade. Estudos mostram que pode estar relacionado, mas que esse sentimento não é o único que desencadeia essa compulsão. Ansiedade, tédio, estresse, tristeza, tudo isso pode interferir de maneira direta no costume. Procure um médico ou especialista para fazer um acompanhamento.

Mantenha a boca ocupada – Mastigue um chiclete, bala ou algo do gênero, mudar o foco é importante principalmente em momentos de ansiedade ou incertezas. Quando estiver em uma posição difícil, respire fundo e tente controlar suas emoções.

Tenha um kit manicure por perto – Toda vez que você pensar em roer as unhas, tire da bolsa um “kit manicure”, use tesoura, lixas, etc. Com o hábito de lixar ou cortar, amenizamos a ação de roer. Tente manter sua mão longe da boca. Importante: Não compartilhe o seu kit com ninguém, isso pode acarretar em problemas futuros.

Hidrate a mão – Esse truque é ótimo. Mantenha sua mão hidratada, se possível, 24 horas por dia. Quando você sentir vontade de roer a unha vai lembrar que sua mão está com creme e a chance de finalizar a ação será mínima. Além disso, mantenha as unhas feitas, o que aumenta a chance de não levar a mão na boca para não estragar.

- Advertisment -

Últimas Notícias

Bloco do produtor começa a ser entregue a futuros assentados

Com as presenças do prefeito Elcio Da Luz e vice-prefeita Edith Maier, dos Secretários da Agricultura, Alcindo...

Prefeito assina projeto de construção da estrada rural da integração

A estrada liga Quedas do Iguaçu a Rio Bonito do Iguaçu numa extensão ver 16,5 kmO prefeito Élcio...

Representante da OPAS realiza palestra técnica para monitoramento de pacientes com Covid

Vacinação para população em geral acima de 45 anos continua nesta segunda-feira,14, no Posto Central Caetano Munhoz de Quedas do Iguaçu (centro-sul...

Covid-19: Boletim epidemiológico Quedas do Iguaçu (11/06/2021)

Hoje a nossa homenagem é para o doutor Valdomiro Vodonós, vítima da Covid-19 em 07/01/2021 Todos os dias desta semana lembramos vítimas...

Comentários Recentes